ALBERGUES ::

O Brasil está muito bem servido de opções para os praticantes do montanhismo. Ainda que o esporte tenha nascido em terras europeias, pelos lados da cordilheira dos Alpes (daí o termo alpinismo como sinônimo), não faltam lugares incríveis para esta prática esportiva emocionante, terapêutica e diretamente ligada à natureza.

E como bom mochileiro, o montanhista não quer comprometer seu orçamento de viagem em hospedagem. Procura um bom lugar para descansar, com conforto e ambiente agradável. Aí entram os albergues, febre no exterior e cada vez mais populares no Brasil, com diárias a partir de R$ 20.

A Região Sudeste é uma das mais privilegiadas para a prática do esporte, especialmente o estado do Rio de Janeiro. A capital, por sua topografia cheia de montanhas de rocha de granito, já é tida como uma das mecas do montanhismo e escalada em pedras do mundo. Tome o bairro da Urca como exemplo e terá uma espantosa e constante concentração de escaladores, que encontram vias de diferentes graus de dificuldade na região do Pão de Açúcar.

Outra área muito badalada é a Floresta da Tijuca, com seu o ponto alto (literalmente) na Pedra da Gávea. No topo de seus 842 metros acima do nível do mar, é o maior bloco de pedra à beira mar do planeta. Explorar a mística Passagem dos Olhos é um ideal da maioria dos alpinistas, que encontram um visual panorâmico das regiões oeste e sul da capital.

Albergues no Rio de Janeiro estão entre os mais variados e bem conceituados do país. Costumam ser também ponto de encontro dos desportistas, que não raro trocam ideias e montam trips ali mesmo.

É possível ficar na Cidade Maravilhosa, e estender os passeios (e as aventuras) até a vizinha Teresópolis (distante apenas 87km), essa sim considerada a capital nacional do montanhismo. Como resistir ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso), com suas já ilustres formações como o Dedo de Deus, a Pedra do Sino, a Agulha do Diabo, a Pedra da Tartaruga e a Mulher de Pedra. São mais de 20 mil hectares, que abrangem também os municípios de Petrópolis, Magé e Guapimirim. De maio a setembro (alta temporada do montanhismo), o parque é tomado por aventureiros de toda parte.

Outro destino carioca, mas bem menos explorado, é a Ilha do Farol, em Arraial do Cabo. A modalidade por lá são os psicoblocs (junção de grandes paredes com bases em locais com água), praticada principalmente na Espanha e na Tailândia. Além da adrenalina, o visual da região, com mar azul, águas cristalinas, rochas brancas e até golfinhos de vez em quando, é um verdadeiro pedaço do paraíso. E hospedar-se por lá também não precisa custar muito, com as opções econômicas de albergues em Arraial do Cabo.

Muito popular no verão brasileiro, Ubatuba (litoral norte de São Paulo) tem lindas praias e um clima maravilhoso. Uma delas, a Praia da Fortaleza, é também um belo point para o boulder, escalada praticada sem o uso dos equipamentos de segurança como cordas e mosquetões. Fica na ponta direita da praia, em meio à floresta tropical cercada de morros, cachoeiras e rios de águas cristalinas. É a chance para programar as férias perfeitas, reservando uma pousada em Ubatuba.

Um dos principais cartões postais do Brasil, as Cataratas do Iguaçu também têm pontos de escalada, fato que poucos conhecem. Tudo bem que é um tipo de escalada diferente, pois ao invés de uma montanha, escala-se em um cânion! É preciso fazer contato com a Associação Montanhistas de Cristo, que autoriza a escalada nos nove setores do Parque Nacional e faz a manutenção das trilhas de difícil acesso. O desafio será grande, portanto vale reservar uma boa e tranquila pousada em Foz do Iguaçu para começar bem a viagem.